Translate

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Ja é Natal!


RENA DE EVA PARA O NATAL


DICAS DE EVA PARA O NATAL


EU E MINHA QUERIDA AMIGA INÊS NO PASSEIO A PORTO ALEGRE


COLEGAS DO GESTAR II


Passeio a Porto Alegre

No dia dez de novembro o nosso grupo do Gestar foi fazer um passeio na capital dos gaúchos para assistir um teatro, seria uma das despedidas do curso, porém chegando lá o teatro já estava lotado, então fomos assistir um show.O show que mais me chamou atenção foi do Cara de Pia, ele cantava músicas relacionadas a cidade de Porto Alegre, foi muito bonito.


Depois do show fomos jantar num centro de lojas a decoração de Natal estava linda, encantou nossos corações e deixou o passeio ainda mais divertido, tiramos muitas fotos, conversamos bastante brincamos muito, espero que ainda possamos repetir a dose.

Memorial reflexivo

                                Chapeuzinho Vermelho vai à escola




Era uma vez, uma menina chamada Chapeuzinho Vermelho , ela e sua irmã Chapeuzinho Amarelo, quando tinham quatro anos ficaram muito curiosas em conhecer a escola, porque elas viam seu irmão arrumar as suas coisas todos os dias para ir à escola.Então a amada mãe das meninas levou-as para conhecer a tão sonhada escola.

Chegando lá a reação das meninas não poderia ser outra senão correr, pular, gritar, e brincar em todos os brinquedos possíveis,na sala de aula havia uma casinha de boneca encantadora que as deixou mais fascinadas ainda.Porém elas não tinham idade o suficiente para freqüentarem a escola, e elas deveriam ir embora, a tristeza foi enorme,era um choro que deixou muita gente sem saber o que dizer,a mãe das meninas bem que tentou mas de nada adiantou, elas ficaram inconformadas.

Um bom tempo se passou e a família de Chapeuzinho mudou-se de cidade,foram para o litoral di Rio Grande do Sul ,em Imbé, foi nessa cidade que Chapeuzinho e sua irmã iriam realizar um sonho,ir para escola.

O primeiro dia de aula foi inesquecível, o material era todo novo, a roupa também era nova , tudo foi perfeito,Chapeuzinho e sua irmã não faltaram nenhum dia se quer, elas estavam apaixonadas pela escola,pelos colegas e claro pela professora.

Um ano inteiro se passou ,as férias chegaram,qualquer criança adora férias,Chapeuzinho também gostou, mas não via a hora de recomeçar a estudar,seria uma professora nova,sala de aula nova ,talvez colegas novos.Ela estava muito curiosa, aquelas férias demoraram a passar.

Quando finalmente as férias acabaram Chapeuzinho e sua irmã arrumaram-se e foram para escola para uma grande aventura, aprender a ler e a escrever, elas sabiam que aquele ano seria diferente.

A professora era linda, tinha uma paciência incrível, as atividades que ela proponha eram desafiadoras, faziam Chapeuzinho pensar bastante, e ela sempre conseguia concluí-las, as vezes com a ajuda de sua irmã e da professora.

Chapeuzinho no meio do ano letivo já estava alfabetizada, lendo e escrevendo fluentemente, fora um ano de desafios , conquistas e uma grande vitória,a aprovação.

Outro ano letivo passara, outras férias, e mais um ano na escola, Chapeuzinho continuou seu processo de alfabetização, cada vez mais difícil, mas não impossível.

A incansável Chapeuzinho nunca desistiu,concluiu o ensino fundamental e iniciou o Curso Normal, ela ficou tão apaixonada pela educação que decidiu ser professora,ela e sua irmã,é claro, elas não se desgrudavam nunca.

Foi nesse curso que a ela descobriu que poderia mudar o mundo,que só através da educação isso seria possível,ela não queria mais ver o Lobo mal fazendo as suas maldades, e pensou se de repente ela ensinasse seus alunos a seguir o caminho certo, eles não cairiam nas garras do malvado Lobo Mal.

Esse foi um dos motivos mais fortes que incentivaram Chapeuzinho a nunca desistir. Então ela formou-se professora e já inscreveu-se no vestibular e começou a estudar a maravilhosa Língua Portuguesa.

Hoje quase formada,já leciona a Língua Portuguesa na cidade onde alfabetizou-se e também em Cidreira, onde trabalha com crianças de cinco anos ,alfabetizando.

Essa é a minha história o meu processo de alfabetização, esse processo me deixou marcas tão fortes que me fizeram segui-las, foi tão especial que decidi propor esse momento bom também para outras crianças, por isso que amo alfabetizar, por isso que amo a Língua Portuguesa.

PROJETO

INTRODUÇÃO: Este trabalho envolve séries diversificadas da E.M.E.F.Norberto Martinho Cardoso no Imbé , com o intuito da aproximação da leitura seguida de produção textual e alunos interagindo com a comunidade.


Promoveremos a valorização e o estímulo do que foi produzido em sala (livros de história) abordando diversos gêneros literários como: Ficção, Aventura, Terror, Drama , Comédia e Romance.

JUSTIFICATIVA: De acordo com a realidade que tramita nas escolas, onde a produção dos alunos são “ engavetadas” e pelo fato que o letramento decorre da contextualização de vários textos e informações, torna-se primordial criar condições para que este processo se desenvolva. Sendo assim, há a necessidade de um trabalho voltado para a valorização da produção, envolve toda a comunidade escolar, visando resultados significativos. Reais, para que compreendam a sociedade como um todo.

OBJETIVO GERAL: Estimular, valorizar e contextualizar o trabalho de cada um ,unidos num elo participativo, promovendo um verdadeiro letramento.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

*Atingir um bom rendimento na habilidade de pensar, observar, criticar e comparar.

*Proporcionar ao aluno a familiarização com a produção de livros, sensibilizando-os da importância e valor da leitura na vida.

*Desenvolver imaginação criadora.

*Oportunizar o trabalho grupal e o acesso às suas próprias produções.

*Viabilizar a oportunidade de aprimoramento da expressão oral na promoção de cada livro para outras turmas e comunidade, para que haja um despertar de novos leitores.

METODOLOGIA: O professor disporá de um tempo de sua carga horária para a apresentação do projeto, ajudando-os a realizar o planejamento de suas atividades.

As atividades serão realizadas sob a coordenação de líderes de grupos de 4 a 5 alunos, previamente e uma valorização do resultado obtido.

A partir dessa socialização em sala de aula, busca mútua de reescrita dos seus textos e a exposição oral promovendo seus livros, vão resgatar o orgulho e o prazer da produção textual e consequentemente a habilidade sócio-comunicativo dos envolvidos.

EQUIPE DE TRABALHO: colaboração dos docentes de Língua Portuguesa, Educação Artística e alunos.

CRONOGRAMA: Cada professor fará o seu cronograma conforme o seu horário.

1º aula- Discutindo a função da imagem nos anúncios.

2º aula- Classificando gêneros textuais.

3º aula- Criando o varal de poesia.

4º aula- Caracterizando a narração.

5º aula- Criando cartas.

6º aula- Letramento e diversidade cultural.

7º aula- Duvidando do texto.

8º aula- Propaganda e marketing.

9º aula- O sentido do texto.

10º aula- O enlace de idéias.

11º aula- Para organizar as informações.

12º aula- Uma história maluca.

13º aula- Ler para conhecer e reconhecer diferentes textos literários.

14º aula- A gíria.

15º aula- Paródias de provérbios.

16º aula- Uma placa na horta.

17º aula- Um poema de amor.

AVALIAÇÃO: Deverá acontecer em todas as etapas do Projeto, considerando o interesse de cada um, suas conquistas, observação e desenvoltura nas atividades propostas, bem como o envolvimento e participação no coletivo, inclusive a intervenção do líder dos grupos no contexto.

O que é o Gestar II ?

“ É um programa de formação continuada semipresencial orientado para a formação de professores de Matemática e Língua Portuguesa, objetivando a melhoria do processo de ensino aprendizagem”


O foco do programa é a atualização dos saberes profissionais por meio de subsídios e do acompanhamento da ação do professor no próprio local de trabalho.

Tem como base os Parâmetros Curriculares Nacionais de Matemática e Língua Portuguesa dos alunos de 5° a 8° séries (6° ao 9° ) do Ensino Fundamental.

A finalidade do programa é elevar a competência dos professores e de seus alunos e, consequentemente, melhorar a capacidade de compreensão e intervenção sobre a realidade sócio-cultural.”



Qual é o objetivo do Gestar II?

“O Gestar II tem como objetivo maior possibilitar ao professor de Língua Portuguesa de 5° a 8° (6° ao 9° anos) um trabalho que propicie aos alunos o desenvolvimento de habilidades de compreensão, interpretação e produção dos mais diferentes textos. Esse processo de escolarização visa à inserção dos alunos na sociedade, como cidadãos conscientes, capazes não só de analisar as várias situações de convivência social como também de se expressar criticamente em relação a elas.

Os objetivos , na perspectiva do desenvolvimento do professor , estão entrelaçados.O programa busca a valorização do profissional e pessoal do professor, destacando as suas características e histórias particulares, a sua visão de sociedade, de relações e de compromisso com ela.”

terça-feira, 10 de novembro de 2009

UMA PLACA NA HORTA

Objetivos:Perceber que a interação comunicativa independe do conhecimento da língua padrão;
Compreender que todo falante da mesma comunidade linguística possui a gramática internalizada;
Identificar possibilidades de significação decorrentendo contexto e da escolha das estruturas linguíticas.

Iniciei a aula mostrando aos alunos a foto da placa na horta que há no livro do gestar II, que diz mais ou menos assim:

"orta DCOVE
APERTE
AcamPAnha
SERA-ATEMDIDA
5.PE.DE.AuFASE
1.REAu.E.COVE"

Os alunos tiveram uma certa dificulade de entender o que estava escrito ,mas entenderam,então eu os questionei sobre erros gramaticais,perguntei se eles escrevem assim?se acham certo?o que eles fariam naquela situação?
Depois de conversarmos muito os alunos perceberam que houve comunicação naquela situação,a escrita estava errada,porém aquela pessoa que escreveu de uma certa forma conhece uma gramática,a gramática interna, e que cada um deles também possue a sua gramática internalizada

Paródias de provérbios

Objetivos:Interpretar paródias de provérbios e identificar matrizes;
Criar paródias de provérbios.

Primeiro os alunos procuraram no dicionário as palavras paródia e provérbio,em seguida realizamos a leitura e partimos para aula.Passei no quadro alguns provérbios como...

"Águas passadas não movem moinhos"

"Casa de ferreiro espeto de pau"

"Mais vale um pássaro na mão do que dois voando"


Expliquei que isso que eles haviam observado no quadro eram provébios, no segundo momento entreguei algumas folhas de xérox onde havia escrito algumas paródia de provérbios,como:

"Quem tem boca vaia"

"nADa se crIA
tudo se"

"Quem ri por último ri pior"

"osf INsJUSTificamOS"

Os alunos observaram com muita atenção,senti um pouco de dificuldade em compreenderem as paródias, mas no fim todos captaram,uma aluna comentou que o significado do provérbio havia mudado e que ficou mais engraçado.Fiquei muito feliz porque ela entendeu exatamente o sentido da paródia.
Depois da compreensão eles criaram paródias através de provébios.

"De grão em grão se constrói um milhão"(aluna Débora)

"Cão que ladra não morde,só arranca pedaço"(aluna Karen)

ALUNOS CRIANDO OS TEXTOS


Textos divertidos

No início da aula entreguei algumas revistas para cada dupla e pedi que escolhessem uma gravura que eles se identificassem.Após de escolher começamos a criar o texto em grupo de acordo com as gravuras.Colamos as gravuras no cartaz e eles começaram a criar o texto narrativo seguindo a ordem das gravuras,foram criados textos muito divertidos.

A gíria

Objetivo:Entender a noção de gíria
Iniciei a aula conversando sobre o que eles entendiam sobre gíria,pedi que eles procurassem no dicionário a palavra "gíria".Após eles procurarem, leram e copiaram um trecho do livro "A bolsa amarela" de Lygia Bojunga Nunes.
"Levei uns cascudos que eu vou te contar.(...)fui cedo pra cama porque vi logo que ia dar galho.(...)Fui dormir na maior fossa de ser criança podendo tão bem ser gente grande,"
Pedi que destacassem as gírias do trecho e conversamos sobre elas.
No segundo momento passei no quadro as gírias dos surfistas que estão no livro do gestar II, e eles acrescentaram outras que eles conhessem:
coroa-pessoa mais velha
baia-casa
choquei-estar surpresa
vaza-sai daqui
tudo joia-tudo bem
xarope-bonito
pode crer-tudo certo
bagulho-droga
fubá-pessoa pobre
mano-amigo
boia-comida
tô ligado-esperto
grana-dinheiro
pirua-amigas
Os alunos leram e chegaram a conclusão de que a gíria faz parte do nosso dia a dia, e que não existe linguagem certa nem errada, e sim, linguagem adequada e inadequada.

Dicionário de Internetês

akab-acabou
akele-aquele
aki-aqui
akilo-aquilo
aten-até
axo-acho
bjs-beijos
blz-beleza
bok-boca
c/-com
cmg-comigo
vc-você
d/e-dele
d/noit-de noite
entaum-então
explik-explique
falow-falou
fikei-fiquei
fz-fiz
fzr-fazer
gnt-gente
hj-hoje
hr-hora
i-ir
iskola-escola
jah-já
kd-cadê
kerer-querer
kra-cara
krinha-carinha
mto-muito
ñ/naum-não
nd-nada
naqla-naquela
ningm-ninguém
9dades-novidades
p/-para
park-parque
pekeno-pequeno
pf-por favor
pod c-pode ser
pq-porque
q- que
qndu-quando
q stao-questão
rsp-resposta
tbm-também
tc-teclar
td-tudo
trquik-tropica
v-vai/vou
vamu-vamos
vc-você
xau-tchau
loka-louca
loko-louco

terça-feira, 3 de novembro de 2009

ALUNOS PESQUISANDO NA INTERNET


Dissertação sobre internet da aluna Edinara

INTERNET
A Internet é um meio de fazer novos amigos, de fazer compras e ficar bem informado, mas também é muito perigosa porque tem muitos pedófilos querendo se fazer de amigos para as crianças ficarem apaixonadas.
Os pedófilos chamam elas de meu amor para conseguir a confiança delas, eles conseguindo a confianças delas fazem muito mau para elas.
Porém a Internet é legal porque podemos ficar bem informados nas notícias do mundo, e também é muito boa para comprar móveis, roupas e utensílios pela Internet.
A Internet é muito boa pra fazer amigos, ficar bem informado, mais por um lado a Internet vicia, mas eu não vivo sem ela.


Nome:Edinara da Silva.
Turma:82.

Plano de aula/Meios de comunicação

Objetivo:Incentivar o educando a pesquisar na internet proporcionando momentos de contato direto com a mesma,explorar a escrita e a leitura e o convívio em grupo.

No primeiro momento da aula fomos para sala de informática da escola,pedi que eles entrassem na internet e pesquizassem sobre os meios de comunicação que existem atualmente e que existiam a tempos atrás.
Cada grupo escolheu o seu meio de comunicação, então eles pesquisaram sobre e criaram uma dissertação em relação, após publicaram no blog deles, nós já haviamos criado o blog de cada aluno.
Depois de tudo pronto pedi que cada aluno mostrasse o seu blog para os colegas e lesse a sua dissertação.

FILME DE TERROR


NASCIMENTO DE UMA CRIANÇA


Ônibus


GOOOOOOOL


O CARRO ESTRAGOU EMPURRA


Interpretação corporal

Estou realizando o estágio de Lingua Portuguesa com o 3º ano do curso normal à nível médio no I.E.E.Barão de Tramandaí, e nessa útima aula realizei uma aula de interpretação diferente,entreguei um papel para cada grupo e pedi que cada um imitasse o que pedia o papel,contei até 5 e elas deveriam ficar em estátua, o restante do grupo deveria descobrir o que era aquilo através da expressão corporal das colegas.
Foi uma aula bem interessante e divertida

Aprendendo a superar desafios com Carlos Durmond de Andrade

Em uma aula descontraída realizei a leitura do poema de Drumond com os alunos da 8º série "TINHA UMA PEDRA NO MEIO DO CAMINHO",questionei a todos a respeito das barreiras que encontramos no nosso dia a dia,os alunos pensaram bastantes,discutimos muito, relataram seus desafios que já enfrentaram e conscientizaram a todos.
Em seguida fomos até o pátio da escola e pintamos algumas pedras com partes do poema estudado.

domingo, 27 de setembro de 2009

PROPAGANDA E MARKETING

Objetivo: Perceber a escrita como prática comunicativa.
Dividi a turma em grupos e mostrei algumas propagandas de revistas, através dali pedi que cada grupo criasse um produto diferente, que nunca havia sido visto e que fosse possível ser usado. Os alunos conversaram bastante, varias sugestões surgiram, dúvidas, questionamentos e algumas discussões também, mas todos ajudaram da sua maneira.
Um grupo criou um filtro anti-substâncias tóxicas para tabaco, o outro grupo criou ama bala eterna , que nunca acaba, o terceiro grupo criou uma marca de produto “NACURA”, e fizeram a propaganda de um anti-cáries. Produtos interessantes e bem criativos.Os alunos produziram a escrita sem reclamar e coletivamente.
Na culminância da aula cada grupo fez a sua propaganda, “vendeu seu peixe” para os colegas, assim perceberam que a escrita também é uma forma de comunicação tão boa quanto a comunicação visual.

O SENTIDO DO TEXTO

Objetivo: Identificar como se constrói a unidade de sentido do texto.
Passei o texto no quadro, onde eles deveriam completar as lacunas em branco e criar um título para o mesmo.Alguns ficaram ansiosos para completar o texto antes mesmo que eu terminasse de escrevê-lo no quadro, então conversei com e pedi que primeiro copiassem, após lessem e depois completassem. Alguns não concordaram e por fim viram que não deu certo, o texto ficou incoerente e decidiram refazê-lo.
Os alunos chegaram a conclusão de que era melhor ler o texto por completo e depois escolher as palavras corretas para o texto ficar coerente.
Realizamos a leitura em voz alta e completamos também em grupo.

O ENLACE DE IDEIAS

Objetivo: Analisar a construção da coerência em textos.
Pedi que numerassem em seu caderno de 1 a 10,e comecei a fazer as perguntas do livro:
1-Diga um nome próprio?
2-Diga o nome de um lugar?
3-Qual é o seu número de preferência?
4-Qual é a sua cor preferida?
5-O que para você é um defeito?
6-Indique um intervalo de tempo?
7-Indique uma quantia em dinheiro?
8- Qual é a sua música ou banda preferida?
9-Diga um nome de um local?
10-Qual é a sua comida preferida?
Os alunos responderam as questões e depois realizei a leitura das respostas da outra página.
1-o nome do seu noivo/sua noiva;
2-o lugar onde se encontraram;
3-o número do sapato;
4-a cor dos olhos dele ou dela;
5-é o seu única defeito;
6-tempo de duração co namoro e noivado;
7- dinheiro disponível para o casamento e alua de mel;
8-música ou banda que tocou durante a cerimônia de casamento;
9-local da lua de mel;
10-único cardápio da lua de mel.
A turma toda caiu em risadas, as respostas foram muito engraçadas, em seguida pedi que cada um criasse a sua história de acordo com as respostas que eles escreveram, os alunos leram a sua história para turma de uma maneira natural, sem que eles percebessem.
Percebi que eles tiveram um pouco de dificuldade de encontrar as palavras corretas para dar sentido ao texto, mas conseguiram e entenderam o que é a coerência no texto.

Letramento e Diversidade Cultural

No primeiro momento mostrei a primeira placa de trânsito aos alunos, nela estava desenhado um carro e uma pessoa com uma arma na mão apontando para o carro.
Os alunos observaram com muita curiosidade e atenção, questionei verbalmente sobre o que seria esta placa. Em seguida escrevi as perguntas que seguem no livro. O que significa a placa? Qual o objetivo? Onde poderia estar colocada esta placa? Eles responderam e leram as respostas.
No segundo momento mostrei a outra foto da mesma placa, só que estava escrito algumas palavras acima da placa. ”Violência urbana. O maior perigo é se acostumar”. Eu os questionei verbalmente e respondemos as questões do livro. Que significado eles obtiveram examinando o texto inteiro? Para quem está endereçado o texto, objetivo, gênero, intenção?
Os alunos observaram como é importante ler todo o texto para compreendê-lo melhor, conversamos muito em relação a violência em nosso município e nos conscientizamos que não devemos nos acostumar a sim alertarmos sociedade.Só depende de nós.

Leitura de imagem

Duvidando do texto
Os alunos estavam sentados em grupo, então distribui uma gravura para cada grupo onde estava desenhado um jacaré na mata. Os alunos analisaram a foto, então pedi que lembrassem tudo o que eles sabiam a respeito daquela imagem. Conversamos um pouco sobre a imagem, uns falaram que era um animal perigoso, outros que era um animal belíssimo.
Após alguns relatos pedi que anotassem no caderno tudo o que eles estavam vendo na imagem, depois tudo o que eles conseguiam associar a imagem.
Em seguida cada grupo criou três perguntas para fazer para o outro grupo em relação à imagem e as informações que eles haviam adquirido.
Sorteei um grupo para fazer as perguntas para o segundo grupo que estes iriam responder. Durante as perguntas e respostas percebi que a turma estava atenta e ansiosa para participar, consegui fazer com que todos lessem de uma maneira diferente e compreendessem o que o texto através de uma imagem.
Algumas perguntas:
1-Como o dia está na imagem?
2-O jacaré está com os dentes?
3-Onde o jacaré está naquele momento?
4-O que há ao redor do jacaré?
5-Será que ele está se preparando para atacar?
6- Quem será a vítima dele?

Narradores de Javé


ANÁLISE DO FILME: NARRADORES DE JAVÉ
1-O que significa fazer o “papel de escriba”? Escrever histórias diferentes de lugares de origem de um povo, dando ênfase aos acontecimentos de valor ocorridos no lugar, ou seja, escrevem histórias científicas.
2-Qual o papel do escriba naquela comunidade?Escrever a história de Javé, da comunidade, escutar a compreender as histórias das pessoas e reescrever somente o que é verídico, ou semelhante à verdade.
3-Analise os traços de oralidade daquela comunidade e a função do escriba. A linguagem daquela comunidade caracteriza-se através da linguagem coloquial, representando a cultura de um povo de maneira imaginária, de maneira clara e objetiva, fazendo o leitor imaginar e acreditar no fato existente.
4-Qual a relação entre a oralidade e escrita?A oralidade é considerada a linguagem que usamos no dia-a-dia ou informal, já a escrita é considerada a linguagem padrão exigindo algumas regras.
5-Analise as práticas de letramento e de alfabetização daquela comunidade. É uma comunidade que possui letramento, porque observa e analisa o mundo que os cerca, porém não sabem ler e escrever, ou sabem identificar somente o seu nome.
6- Como você percebe a relação entre ser alfabetizado e ser letrado no contexto do filme? No filme a pessoa alfabetizada é o escriba que escreve e relata os fatos ocorridos na comunidade e as demais pessoas da comunidade são letradas.
7-Em que atitudes práticas, no contexto da sala de aula, você exerce o papel de escriba? Quando eu corrijo a produção textual dos alunos.
8-Qual a importância do escriba na construção da leitura e da escrita? O escriba ouve as histórias dos letrados, e transfere para o papel através da escrita padrão.
9-Qual a função social que a escrita exerce no contexto do filme?A escrita é importantíssima porque sem ela não seria possível provar a existência daquela comunidade.
10-Quais as relações de poder estabelecidas pelos personagens diante das práticas de escrita? Através da escrita, o escriba tornou-se um confidente para as pessoas da comunidade.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Criando cartas

Para dar continuidade a produção da escrita, optei pela aula 1 e 2 desta unidade.
Li a carta da aula 1 e fiz os questionamentos do livro oralmente,e eles também me responderam oralmente,conversamos bastante.Depois pedi que eles escolhessem alguém da família,amigos colegas mais próximo deles para eles escreverem uma carta.
Nesta carta eles deveriam tentar solucionar algum problema pendente entre eles,algo mal resolvido.
Prometi que se eles quisessem eu enviaria a carta para o destinatário .
Foi um sucesso!Surgiram alguns assuntos bem complicados ,que não cabe a mim comentar neste blog,também rancores guardado dentro do coração e agradecimentos para pessoas especiais.O que eles não tinam coragem de falar ou fazer na hora do acontecimento, eles não tiveram nenhum problema em expor na escrita.Esta aula foi ótima.

Caracterizando a narração

Como eu já estava trabalhando tipos textuais a aula 2(Carcterizando a narração) venho de encontro com o conteúdo.
Passei no quadro o texto e os questionamento do livro,esperei que copiassem e pedi que eles me explicassem do que se fala o texto?o que acontece na história?que tipo de texto é esse?qual a intenção do escritor para com o leitor?
Após alguns relatos,questionamentos e debates,li o texto junto com eles e parece tudo ter ficado mais claro para eles.Resolvi dramatizar a história, pois era uma comédia da vida real,escolhi três alunos para cada um ler as falas de um personagem.Foi bem engraçado,todos gostaram e sairam satisfeitos e felizes da aula.

Criando o varal de poesias

Escolhi a aula 8(Criando o varal de poesias)porque eu estava sentindo uma grande dificuldade em fazer meus alunos produzirem a escrita e praticassem a leitura.
No primeiro momentoapresentei alguns livros de poesia,pedi que lêssem e copiassem a que mais os agradou,copiando o nome do autor, do livro e da editora.
No segundo momento eles criaram poesias, por ter sido a primeira vez,alguns tiveram dificuldade,já outros, podemos dizer que são verdadeiros poetas.Penduramos em um varal e expomos na sala de aula.
Escrever para meus alunos,criar é bastante difícil,há uma resistência muito grande por parte dos alunos,talvez porque não tinham o hábito de escrever,produzir sozinhos,ou ler e gostar de ler,não sei,só sei que esta aula deu uma grande oportunidade para que eles descobrissem o fantástico mundo da leitura e da secrita.Cordel nos ajudou muito.

Discutindo a função da imagem nos anúncios

Os grupos estavam sentados em três grandes grupos, tirei cópias da imagem da aula 4(Discutindo a função da imagem nos anúncios).
Todos observaram com muita atenção e interesse, em seguida começamos a conversar sobre a imagem. Eu os questionei sobre o que eles estavam vendo? O que eles entenderam? O que parece essa imagem dos pneus formando uma mão? Qual a intenção da marca dos pneus Pirelle?O que era mais interessante, uma propaganda escrita ou desenhada?
Assim que concluímos os questionamentos passei algumas perguntas que também estão no livro.
Após analisadas as perguntas e as respostas,pedi que cada grupo crie uma propaganda(anúncio)em relação ao uso indevido de drogas,violência ,paz no mundo etc, porque estava havendo um projeto na escola relacionado a esses temas.
Um grupo fez o planeta terra e duas mãos o segurando escrito “Dê as mãos para o mundo você também”. O outro grupo também fez o planeta terra e duas mãos dentro do mundo, uma branca e outra negra.
O terceiro grupo desenhou grades de prisão e duas mãos a segurando e uma frase bem polêmica, ”As drogas só levam a dois lugares: disputar o conforto da cadeia; ou disputar o tridente com o diabo.”
Apresentei os cartazes na sala dos professores e para as outras turmas do ensino fundamental, todos gostaram inclusive eu. Acredito que o objetivo da aula foi atingido com muito sucesso.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Menu